Março 12, 2021

Avaliação da imunofluorescência indireta como teste suplementar para o diagnóstico de infecção por HIV-1 | Rev. Argent. Microbiol; 30 (2): 59-63, Abr.-Jun. 1998. Tab | LILACS

Resumo

A eficiência de diagnóstico de imunofluorescência indireta (IFI) foi comparada como um método confirmatório da infecção por HIV-1 em amostras séricas de 362 pessoas com altos comportamentos e baixo risco. O painel composto por 220 positivo, 122 negativo e 20 indeterminado pelo Western Blot (WB) foi testado por uma técnica IFI desenvolvida em nosso laboratório. A sensibilidade calculada foi de 98,63% e spin 98,36 por cento, indicando que a IFI é um método alternativo para confirmar a presença de anticorpos contra o HIV-1. Como o seu custo é inferior a 10% em relação ao WB, sua introdução é justificada no algoritmo diagnóstico sorológico HIV-1. Um relacionamento direto também foi observado entre a reatividade das proteínas WB e os resultados da IFI. Em 15 amostras resultam indeterminadas por WB e Nonspecíficas pela IFI, as bandas mais observadas foram o P24 seguido pelo GP160; Por outro lado, os anticorpos contra glicoproteínas virais são aqueles que apresentam maior frequência em amostras positivas fracas, demonstrando seu alto valor preditivo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *